ANA BOTAFOGO: 40 ANOS DE THEATRO MUNICIPAL / LUCI COLLIN: DE NOVA IDADE HOJE

 

ANA BOTAFOGO

Com fortes elos com Curitiba, a bailarina Ana Botafogo centralizou atenções pelo livro “ Ana Botafogo: palco e vida”, lançado em setembro em área aberta do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A obra com 904 páginas, celebrando os 40 anos de Botafogo no Theatro Municipal,  foi escrita pelo médico cirurgião Ernani Ernesto Fonseca, pai da mais famosa estrela da dança clássica nacional. Retrata momentos marcantes da vida pessoal e profissional da bailarina, e a renda do livro teve parte  direcionada à reforma da Maternidade do Hospital Municipal Miguel Couto, do Rio. O histórico da Botafogo em Curitiba regista sua estréia no Teatro Guaira, em 1977, como solista no ballet Giselle. De volta ao Rio, terra natal, em 1981, ganhou o papel de Primeira Bailarina do Theatro Municipal, numa caminhada de sapatilhas  em que interpretou o máximo do repertório clássico, como: Coppélia, Quebra Nozes, Giselle, Romeu e Julieta, Don Quixote, O Lago dos Cisnes, Zorba o Grego, A Megera Domada, entre outros. Nesses quarenta anos , consagrada e unanimidade da crítica, Ana Botafogo teve, entre os principais partners, Fernando Bujones, Julio Bocca e Richard Cragun, este, de saudosa memória, foi casado com a brasileira Marcia Haydée, com quem formou uma das duplas mais renomadas e longevas no Ballet de Stuttgart

Ana Botafogo


LUCI COLLIN


Dos destaques da literatura Curitibana, reconhecida no Prêmio Jabuti com a segunda colocação, neste que é considerado o mais tradicional e portentoso do país, concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), criado em 1959, a curitibana Luci Collin é autora de mais de 20 livros, entre romance, prosa e conto. Mestra em inglês na UFPR, é doutora pela USP de São Paulo. Com brilho, também navega na música, formada que é pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Como reflexo de sua desenvoltura ao piano, os textos em prosa e verso vêm potencializados pela harmonia. Já no início de sua entrada oficial dando a conhecer suas primeiras publicações, sua postura e traços próprios impressionaram  muitas cabeças do meio intelectual e deixaram suas impressões nomes nacionais como Dias Gomes, que afirmou: “você tem talento demais e isso será reconhecido, estou certo, mais dia menos dia. Sem favor , sem delicadeza, sem charme, você é uma poeta. Com P grande... F oi uma alegria descobrir você”.

 

Leminski constatou: Estou admirado com o nível técnico desta jovem poeta, nesta geração que pensa que qualquer coisa é poesia. O cartunista Henfil, extasiado, terreteu-se: Meu Deus ela tem 19 anos só?! Que mulher, que mulher! Integrante da Academia Paranaense de Letras, Luci Collin tem 57 anos, comemorando aniversário neste domingo


Luci Collin


REFLEXÃO


Tu, porém, ao dares esmola, ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita...

Mateus 6: 1-4

Mude suas opiniões, mantenha seus princípios. Troque suas folhas, mantenha suas raízes

Victor Hugo

Postado dia domingo, 29 de agosto de 2021.Você pode seguir este post através do link RSS 2.0. Você pode deixar um comentario.

Deixe seu comentário