DOTTI: TRADUZINDO

Presidente do Instituto Ciência e Fé de Curitiba, o jornalista Aroldo Murá G. Haygert foi claríssimo ao assinalar uma das marcas do jurista René Dotti – a objetividade na comunicação dos temas de sua especialidade.

Isso eu registrei durante a apresentação dos debatedores da mesa sobre “Liberdade de Expressão, Liberdade Vital”, que o Instituto promoveu na semana passada, no auditório da Escola Catarina Labouré, nas Mercês.


E eu mesmo constatei mais uma vez: mestre Dotti não conseguiu universalizar sua respeitabilidade por acaso. Na conferência/debate ele foi preciso, claro, ao traduzir do juridiquês para o bom português sua defesa aguerrida da liberdade de expressão. Se o público não era grande, foi empolgante , significativo o arsenal de idéias desfiladas ao longo do encontro, que motivou a melhor interação com a qualificada platéia. O expressivo time do saber e inteligência paranaenses, juntou ao lado do advogado René Dotti, os jornalistas Maria Sandra Gonçalves, Marilena de Mello Braga, Nilson Monteiro, Hélio Puglielli e Mauri Konig. 

Postado dia sábado, 20 de agosto de 2016 com os seguintes temas ,,.Você pode seguir este post através do link RSS 2.0. Você pode deixar um comentario.

Deixe seu comentário